Você sabe se desintoxicar?

Alimentos de alta vitalidade apoiam os mecanismos de desintoxicação do corpo. Lembre-se: a vida é tóxica. Fígado, baço, rins, intestino e poros não estão aí por acaso.

Alimentos que geram vida são germes e brotos. Alimentos que ativam a vida são raízes, bagos, folhas, flores, sementes, grãos, nozes. Não, carnes não são recomendadas. Nem laticínios. Muito menos enlatados e embutidos.

Alimentos que destroem a vida: açúcar, aditivos químicos.

JEJUM (com informações de Dr. Soleil)

O jejum é um meio de desintoxicação poderoso e intenso. É perfeitamente possível preparar o organismo para o jejum. Comece: produtos animais, menos. Hortaliças, mais.

O jejum em três ações: 1) diminua a comida aos poucos, 2) jejue, e  3) acrescente comida aos poucos.

O jejum em etapas: 1) retire produtos animais, 2) corte excitantes, óleos e frituras, 3) suprima nozes, óleos e gorduras vegetais, 4) retire cereais cozidos, 5) corte hortaliças e frutas cozidas, 6) mistura de cereais, hortaliças e frutas crus.

Para voltar a comer, retorne as etapas: 1) adicione mistura de cereais, hortaliças e frutas cruas, 2) acrescente hortaliças e frutas cozidas, 3) insira cereais cozidos, 4) adicione nozes, óleos e gorduras vegetais, 5) acrescente excitantes, óleos e frituras, 6) insira produtos animais.

Cada etapa corresponde a uma refeição, a um dia ou a vários dias. Elas conduzem lentamente ao jejum. Com a prática, sente-se por experiência o tempo certo para cada estágio.

Durante o jejum: nenhum alimento sólido é ingerido, mas água e sucos de hortaliças (feitos na hora) estão liberados. Absorva entre 1,5 e 3 litros de água por dia.

O jejum é um banquete de líquidos (bebidos de acordo com a sede) e de oxigênio. Pode beber: refresco de fruta depurativa espremida na hora, água com limão (1/2 copo de limão em 1/2  a 1 litro de água).

Não misture frutas e respeite um intervalo de algumas horas entre o suco de uma fruta e o suco de uma hortaliça (ou entre o suco de dois tipos de fruta).

  • Liberado: Caldo cru. Corte uma ou várias hortaliças em pedacinhos. Mergulhe em água à temperatura ambiente por até 24 horas. Coe. Descarte as hortaliças. Beba a água.
  • Liberado: Chá de erva medicinal não muito quente.
  • Liberado: Poção mágica: 1 colher de sopa de suco de limão. 1/2 colher de sopa de melado de cana. 7 colheres de sopa de água. 1 colher de sopa da água em que colocamos por pouco tempo uma pequena pimenta malagueta amassada.
  • Liberado: Rejuvelac
  • Liberado: Banho de sol (exposição progressiva e moderada). Molhe frequentemente o corpo com água. Beba líquidos.
  • Liberados ainda: caminhar de pés descalços, relaxamento, meditar, massagens, exercício físico moderado, expressão da voz, atividades criativas: desenho, pintura, modelagem, poesia, etc.

A fome desaparece em geral após um ou dos dias de jejum completo. As funções de eliminação são intensificadas.

Em caso de emergência

  • Eliminação muito intensa? Volte duas etapas durante algumas horas ou mesmo alguns dias.
  • Mau hálito e gosto desagradável na boca: Escovar os dentes, a gengiva e a língua. Gargareje.
  • Odores corporais: Escove a pele a seco com luva de bucha. Banho de chuveiro.
  • Nariz tapado: Lavar nariz com soro fisiológico. Exercícios de respiração.
  • Hálito com cheiro de acetona: Lavagem intestinal. Poção mágica.
  • Cheiro de bílis: Lavagem intestinal.
  • Dores de cabeça e náuseas: Bolsa de água quente na região do fígado. Chás depurativos.
  • Urina escura com cheiro forte: Ingerir mais líquidos. Descanse um pouco de pernas levantadas.
  • Insônia, cansaço: Relaxar (usando calor ou exercícios)
  • Dores agudas, febre: Aplicação de gelo ou de compressas frias.
  • Sensação de frio: Banho quente, sauna, fricções, bolsa de água quente, exercícios, ioga.
  • Emoções antigas podem aparecer. Lembre-se: não é à toa que você tem uma relação afetiva com a comida. Canalize as emoções: espreguice, chore, careteie, rasgue jornais velhos, caminhe, arteie, medite. 
Anúncios

Realize-se ou se arrependa?

Bronnie Ware passou os últimos anos trabalhando como enfermeira para pacientes moribundos. Ela registrou as últimas epifanias dessas pessoas em um blog chamado Inspiration and Chai, a partir do qual ela escreveu o livro The Top Five Regrets of the Dying.

foto Sally Mann

Os cinco maiores arrependimentos antes de morrer:

1. Gostaria de ter tido coragem de viver de acordo comigo mesmo, não de ter vivido de acordo com as expectativas alheias.

“Este foi o arrependimento mais comum de todos. Quando as pessoas se dão conta de que suas vidas estão quase no fim e olham para trás com clareza, é fácil perceber quantos sonhos não foram realizados. A maioria das pessoas não honrou nem a metade de seus sonhos e teve que morrer sabendo que isso se devia a escolhas que fizeram, ou não fizeram. A saúde traz uma liberdade que poucos reconhecem, até que um dia ela passa.”

2. Gostaria de não ter trabalhado tanto.

“Esse [arrependimento] veio de cada um dos pacientea homens que eu cuidei. (…) Todos os homens que eu cuidei se arrependiam enormemente de ter gasto tanto de suas vidas no moinho de uma existência para o trabalho.”

3. Gostaria de ter tido a coragem de expressar meus sentimentos.

“Muitas pessoas reprimiram seus sentimentos com o objetivo de manter a paz com os outros. Como resultado, eles arranjaram-se em uma existência medíocre e nunca se tornaram quem elas eram verdadeiramente capazes de se tornar. Muitas desenvolveram doenças relativas ao amargor e ao ressentimento que carregaram como resultado [da auto-repressão].”

4. Gostaria de ter mantido contato com meus amigos.

“Frequentemente elas não iriam verdadeiramente perceber todos os benefícios dos velhos amigos até as semanas anteriores à morte, de modo que não era mais possível buscá-los. Muitos tinham se aprisionado tanto em suas próprias vidas que deixaram amizades de ouro escapar com o passar dos anos. Houve muitos arrependimentos profundos acerca de não dar o tempo e o valor devidos à amizade. Todos sentem falta de seus amigos quanto estão morrendo.”

5. Gostaria de ter me deixado ser mais feliz.

“Esse [arrependimento] é surpreendentemente comum. Muitos [pacientes] não se davam conta até o final de que a felicidade é uma escolha. Eles se mantiveram estacionados em velhos padrões e hábitos. O chamado ‘conforto’ da familiaridade inundou suas emoções, bem como suas vidas físicas. O medo da mudança os fez fingir para os outros e para si mesmos que estavam contentes quando, no fundo, ansiavam sorrir com propriedade e trazer a leveza de volta a suas vidas.”

via The Guardian
com Caos Ordenado

Envenenados?

com Flavinha

O Brasil consome mais agrotóxicos do que qualquer outro país no mundo. Sem se dar conta, o brasileiro pode consumir 5l de agrotóxicos por ano.

Quem ganha com a atual epidemia de câncer e com a intoxicação aguda do sangue? A quem interessa que você-veneno?