O mapa não é o território

Um dia, Korzybski palestrava a um grupo de estudantes quando, súbito, interrompeu a aula a fim de retirar de sua valise um pacote de biscoitos, enrolado em papel branco. Ele explicou que precisava comer algo, e perguntou aos estudantes sentados nas primeiras fileiras se eles também gostariam de comer alguns biscoitos. Uns poucos estudantes disseram que sim. “Bom biscoito, não é?”, disse Korzybski, enquanto comia mais um biscoito. Os estudantes mastigavam vigorosamente. Então, desembrulhou o papel branco do pacote, revelando a embalagem original. Nela uma grande foto de uma cabeça de cachorro e as palavras “Biscoitos para Cachorros”. Os estudantes olharam para o pacote, e sentiram asco. Querendo vomitar, dois estudantes levaram as mãos à boca e correram para o banheiro. “Vocês vêem,” Korzybski disse, “acabo de demonstrar que as pessoas não se alimentam apenas de comida, mas também de palavras, e que o sabor daquela é frequentemente excedido pelo sabor destas.”

– R. Diekstra, em
Haarlemmer Dagblad