Disfarsas?

ilustração Bill Watterson

Minha mãe e meu pai não são o que parecem.
Seus fingimentos quase me enlouquecem.
Eu sei de suas técnicas, sei dos seus planos.
Meus pais são alienígenas disfarçados de humanos.

Pousaram na Terra, numa nave gigante.
Agem como adultos, com um jeito pedante.
Sempre negam tudo, fingindo virtude.
Mas me fazem de escravo e roubam minha juventude.

A cada manhã, assim que o sol nasce,
Minha mãe e meu pai põem seu disfarce.
Máscaras frouxas, não encaixam direito.
Cheias de rugas, devem estar com defeito.

A gravidade da Terra deixa seu andar lento.
Não me deixam correr, é um grande tormento.
Escravos do relógio e do que é rotineiro,
São como máquinas, trabalham o ano inteiro.

Têm horror a frituras e à televisão.
Não podem ser gente: da Terra não são.
Seus olhos de Aliens estão sempre em mim
E me enfiam na mente tudo o que é ruim.
Pras suas loucuras esperam sempre “Amém”,
Pois querem que eu seja um deles também.

– Calvin e Haroldo, em
O Mundo é Mágico