Nós e o Planeta

O planeta irá se virar sem nós. Em sua história, somos tão recentes quanto o ponto final de um livro com bem escritas trezentas páginas. Representamos muito pouco no contexto da bio-diversidade planetária, e nosso impacto é estrondoso.

Mas a margem do planeta é consideravelmente maior que a nossa. Uma pequena variação na temperatura, nos ciclos de água e serão muitos os humanos mortos por dia. Já somos muitos os humanos mortos por dia: 8 milhões ao ano, por sede.

Salvar o planeta é uma dessas pretensões tão humanas. O planeta irá se virar, conosco ou não. Está aí girando há quatro bilhões de anos, muitas vezes congelado. A questão não é sobre salvar o planeta, mas sobre a continuidade da espécie humana nele.

O planeta pode ser visto como uma ilha, porque não temos condições de nos assentar em massa em qualquer corpo celeste favorável às necessidades humanas básicas. Ao mesmo tempo, os recursos desta ilha são muitas vezes finitos ou apenas lentamente renováveis. O que acontece quando uma espécie presa numa ilha devasta sua base vital?

Em cenários assim, a espécie irá enfrentar o ponto de corte até que se readeque à oferta natural. E as previsões científicas sugerem que o corte de humanos vai aumentar. Novas e insuspeitas Etiópias, colunas quilométricas de migrantes em busca de refúgio, crescentes conflitos por água – todos fenômenos agigantados nas próximas três décadas.

É claro que podemos desfazer ou transformar as causas do aumento do ponto de corte, cessando o viés mesquinho, consumista e inconseqüente de nossas ações, superando a visão antropocêntrica em benefício de um modelo ecocêntrico. Não é algo fácil, que se instale na consciência coletiva humana em poucos anos. Implica uma visceral atualização de crenças e valores, intenções e atitudes.

Uma atualização assim é grande empresa. E poderia salvar quem realmente precisa de ajuda: nós. Ou não somos nós que nos abatemos uns aos outros ao menor sinal de discórdia? Ou não somos o lixo que obstrui as outras espécies vivas? Urge dissolver o auto-engano no qual nos enredados, auto-complacente para conosco, terrível para os outros. Os outros, esses diferentes de mim!

“Os outros” não são diferentes assim “de mim”. A diferença está na visão. E a visão é um construto tão cultural quanto biológico. Portanto, passível de revisão e mudança. Desnorteados por nossas crenças exclusivistas e avassaladoras certezas, nos tornamos arrogantes e impiedosos, capazes de atos os mais destrutivos.

A continuar a escalada de intolerância entre nós, o planeta não terá sequer o trabalho de nos dispor na gaveta das experiências que não deram certo, já que nos engavetaremos por nós mesmos.

Milênios de história, milhares de culturas, grandes mestres e mestras do caminho. Tudo para nada? Talvez em algum lugar se aprenda: o desejo individualista lastreado pela ausência de sabedoria e compaixão é via curta para o auto-aniquilamento.

Amor,
Breno, o Chico

Anúncios

7 comentários sobre “Nós e o Planeta

  1. OI, Breno amigo, to aqui de volta ao Canada e ao ler os artigos do seu blog penso na importancia do aqui e agora, do viver cada momento,da sabedoria e da compaixao. Obrigada pelas reflexoes com as quais concordo inteiramente. E a primavera aqui, mas chove, venta e faz ate frio, nao muito! final de semana curto o Canada frances , tao lindo, so q!ue estou aqui com o filhote Muriu e isso faz toda a diferenca! abraco e saudades da amiga Nisia Floresta

  2. Legal o texto. Torço para que consigamos sair desse “engavetamento” o mais rapidamente possível. Para isso precisamos botar mais amor e compreensão nos nossos atos, plantar educação e distribuir exemplos de que é possível sim uma outra forma de co-existir com td e tds! Mto legal o blog!

  3. Caro Breno,

    Excelente mensagem. Reflete o contínuo elevar de nossa consciência. Ah, sim. Estamos caminhando rumo a uma simbiose com nosso lindo planeta. E a consciência coletiva vai se dando conta desse espetacular conjunto vivo, arrefecendo a ferocidade e iniciando inúmeras atuações para uma vivência formidável.

  4. enviei pra vcs convite pro lancamento dos meus livros. To sentindo falta de uma notinha em seu blog. Afinal, estamos todos no mesmo navio, como diz o Morin….creio que, decerto havera algo de bom neles que mereca ser noticiado ai!!!! Afinal sao relatos de experiencias alternativas de educacao pela arte e ecologica!!!!Luz e Paz. Nisia Floresta

    • amada,

      sim, podemos por uma notinha. o que gostaria de sua parte é um pequeno mas significativo parágrafo de algum dos livros, e a fonte dele. pode me enviar?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s