Parque ou Aterro?

via Midiativismo

Sobre o vídeo

Este vídeo foi filmado no Parque de Capim Macio, localizado em Natal — RN. A inspiração para este trabalho surge da necessidade de aprendermos a cuidar uns dos outros. Este material denuncia a falta de cuidado com nosso meio, por parte de empresas, dos órgãos públicos e de nós mesmos, indivíduos da sociedade. As informações divulgadas pelo vídeo são consideradas graves e afetam a coletividade. Em resumo, tratam de que ambiente queremos construir e viver ou que estilo de vida desejamos cultivar em benefício de nossos filhos.

A denúncia:

1- Desova de lixo, incluindo documentos supostamente confidenciais, como dados cadastrais de pessoas físicas e jurídicas, e cópias de suas identidades, em ambientes públicos, em particular uma área de proteção ambiental (futuro Parque Municipal de Capim Macio).
2- Incêndios criminosos de uma mata nativa protegida por lei.

Autocrítica

A reportagem falhou em atingir o cerne da questão, preferindo interpretar a situação de um ponto de vista parcial e preconceituoso. Isso significa que a reportagem perdeu a oportunidade de aprofundar e questionar a relatividade dos fatos, portanto, incorreu no hábito de caçar bruxas, caindo em dualidade superficial e insuficiente. Nos próximos trabalhos sugerimos um olhar ampliado e atento às armadilhas de nossa própria interpretação. Teremos em mente a intenção que nos move a questionar e a agir. A reportagem não foi propositiva, permanecendo sempre no nível da denúncia. Não estimulou o engajamento criativo que é uma potencialidade deste método de reportagem.

A edição do vídeo buscou trazer a arte para dentro da denúncia jornalística, visando assim, transcender o papel habitual do repórter e a formalidade da imagem. Em nossa análise o vídeo não atinge sua real potencialidade. Como uma primeira experiência diante dos desafios deste tipo de edição, podemos perguntar: Como equilibrar o realismo da informação jornalística com abordagens mais amplas e integrativas de interpretação da realidade?

Antes de tudo, a produção e edição desta reportagem é uma experiência de aprendizado, que surge espontaneamente da necessidade de compreender e dialogar com o mundo.

InterSer

O InterSer nasce da percepção da interdependência. Essa percepção relativiza a ilusão do outro, nos desafiando a integrar os níveis de dependência, independência e interdependência em uma visão sustentável. O nosso desafio é vivenciar um estado de lucidez que considere os três níveis como presentes ao mesmo tempo. Como atingir uma liberdade integral capaz de receber em si as diferentes realizações do mundo?

Anúncios

4 comentários sobre “Parque ou Aterro?

  1. Não consigo visualizar o vídeo. Talvez com um pouco de autocrítica o pessoal não tiveese jogado lixo lá. Talvez nem tivesse produzido tanto lixo. Talvez tivéssemos participado mais, na causa.

  2. Parabéns Ativistas RAIAR!!!

    Vejo vocês crescerem muito!
    Isto me anima e me faz acreditar mais na raça humana!
    A Terra chora e o ser humano não a acolhe!
    Basta de estupidez!
    Como posso ajudar em horários não comerciais?

    PARABÉNS, RAIAR e ao sábio ser que habita BRENO!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s